Escritórios

Critical TechWorks ocupa 10.000 m2 na nova K-Tower

Ana Tavares |
Critical TechWorks ocupa 10.000 m2 na nova K-Tower

A Critical TechWorks, joint-venture entre o BMW Group e a Critical Software, vai ter cerca de 10.000 metros quadrados de escritórios no novo edifício K-Tower, que está a ser construído pela Krest Real Estate Investments no Parque das Nações, e que estará pronto a ocupar em 2023.

A JLL anunciou esta segunda-feira o fecho do contrato de pré-arrendamento, em representação da Krest, daquela que é «uma das maiores operações de escritórios dos últimos tempos» do mercado de Lisboa.

Mariana Rosa, Head of Leasing Markets Advisory da JLL, comenta em comunicado que «concretizar uma operação com esta dimensão para um projeto que está em construção numa conjuntura ainda marcada pela pandemia, é uma evidência da confiança do tecido empresarial na recuperação da economia. Por isso, as empresas, e especialmente as que necessitam de áreas grandes, continuam a querer assegurar a presença nos melhores projetos, como é o caso do K-Tower. Trata-se de um dos mais emblemáticos edifícios de escritórios atualmente em desenvolvimento, conjugando uma localização ímpar, com o melhor que se pode encontrar em termos de sustentabilidade, qualidade, design e tecnologia».

Por seu turno, Claude Kandiyoti, CEO Krest Investments, destaca que «antes da pandemia, os nossos arquitetos Metrourbe e Saraiva projetaram um edifício que atendesse às exigências da nova geração de escritórios. O K-Tower oferece todos os atributos que são hoje tão importantes no ambiente de trabalho – luz natural, jardins, grandes áreas e fácil mobilidade. Desde o dia da sua conceção que queríamos um edifício sustentável e que fosse intemporal, fazendo com que os seus ocupantes se sentissem em casa no seu local de trabalho. Estamos felizes por ter um ocupante como a Critical TechWorks, que irá projetar os carros elétricos de amanhã num edifício de escritórios do futuro».

Por seu turno, Paulo Guedes, CFO da Critical TechWorks, comenta que «esta operação é um reforço da nossa aposta no talento português e da confiança de que o trabalho que desenvolvemos hoje tem realmente impacto no futuro e tornar-se-á cada vez mais indispensável, à medida que os automóveis se irão diferenciar mais pelo software, do que pela máquina em si. Assim, e porque acreditamos que o escritório é um local essencial para a promoção da cultura da empresa, da colaboração entre equipas e da partilha de conhecimentos, estamos muito contentes por traçar este plano a longo prazo».

O edifício K-Tower tem uma área de cerca de 15.000 metros quadrados distribuídos por 14 pisos acima do solo. Tem também parque de estacionamento para mais de 154 viaturas. De recordar que o complexo K-Tower inclui ainda o novo Moxy Hotel Lisboa Oriente.

Recorde a recente entrevista da Krest à Vida Imobiliária.