Logística

Aquila lança fundo logístico para o Sul da europa e começa por Lisboa

Ana Tavares |
Aquila lança fundo logístico para o Sul da europa e começa por Lisboa

A Aquila Capital anunciou esta segunda-feira o lançamento do novo fundo Aquila Capital Southern European Logistics S.A. SICAV-RAIF que, como o nome indica, vai focar-se no investimento em ativos logísticos na zona do sul da Europa, incluindo Portugal, Itália e Espanha.

O fundo é lançado com um volume de capital comprometido de 330 milhões de euros angariados junto de investidores internacionais, incluindo a SCI Primonial Capimmo. O objetivo é atingir um volume de investimento de 1.500 milhões de euros, com um rácio máximo de dívida de 50%.

Este fundo «focar-se-á em propriedades logísticas modernas e energeticamente eficientes, construídas e operadas segundo os mais elevados padrões de eficiência energética e proteção ambiental, que criam valor acrescentado ao conjugarem fatores como sustentabilidade, condições de aluguer atrativas e localizações estratégicas». Os critérios de seleção «incluem a proximidade de centros de transporte, minimizando as emissões de carbono relacionadas com o transporte e cumprindo as normas de construção sustentável, que incluem a certificação BREEAM, a instalação de painéis fotovoltaicos no telhado e a compensação das emissões de CO2».

O primeiro investimento do ACSEL já foi aprovado e trata-se de um ativo logístico de 115.000 metros quadrados na zona da Azambuja, na Área Metropolitana de Lisboa. 70% do imóvel foi pré-arrendado a um inquilino blue-chip com um prazo de arrendamento de 20 anos.

Roman Rosslenbroich, CEO e cofundador da Aquila Capital, comenta em comunicado que «temos vindo a registar um interesse crescente entre os investidores institucionais em ativos imobiliários sustentáveis, incluindo centros logísticos. O fundo Aquila Capital Southern European Logistics fornece uma resposta a esta procura, concentrando-se nos mercados do sul da Europa, onde existem ainda muitas oportunidades, devido à necessidade de espaço de armazenamento moderno e em grande escala».

O responsável considera que «os nossos investidores beneficiarão da nossa longa experiência no setor imobiliário - um volume total de transações de 2,6 mil milhões de euros cobrindo uma área total de mais de 1.800.000 metros quadrados - bem como das vantagens de entrada antecipada no mercado, com o apoio das nossas equipas locais. Este segmento imobiliário corresponde às estratégias dos investidores e inquilinos que, cada vez mais, consideram os critérios ESG como um valor fundamental e necessário para contribuir para a transição energética global», explica ainda o responsável.

Por seu turno, Lars Meisinger, Head International Client Advisory & Corporate Development na Aquila Capital, destaca que «nos últimos anos, o retorno global da logística superou todos os outros setores imobiliários e esperamos que assim continue. A incerteza persistente em torno da rutura da cadeia de abastecimento está a alimentar a procura por centros de distribuição, graças ao seu papel central no e-commerce. Num mundo pós-Covid, esperamos que as empresas continuem a procurar cada vez mais espaços logísticos para se adaptarem à rápida evolução das tendências dos consumidores e tornarem as suas cadeias de abastecimento mais resilientes para lidar com novas perturbações».

E completa que «com a sua capacidade de investimento especializado em logística, no setor residencial e em centros de dados, a Aquila Capital é um parceiro competente para ajudar os investidores institucionais a alargarem a sua alocação a estes importantes setores».

Rolf Zarnekow, Head of Real Estate na Aquila Capital, salienta que «as principais rendas europeias para propriedades logísticas estão a aumentar mais rapidamente do que em mais de duas décadas. Este crescimento das rendas está concentrado principalmente em localizações estratégicas das principais áreas metropolitanas, enquanto os locais menos centrais continuam a ficar para trás. Mas mesmo aí, o valor das rendas está a superar gradualmente a inflação à medida que a escassez emerge».

Uma tendência que a Aquila espera que se mantenha, «uma vez que é provável que a adesão se mantenha a um nível estruturalmente mais elevado. Embora a oferta de vagas para instalações logísticas de excelente localização, modernas e de grande escala tenha sido muito baixa durante muitos anos, a taxa global de vagas também diminuiu em muitos locais e, por conseguinte, será possível um maior crescimento das rendas».