Negócios

Jamestown chega a Portugal com compra do quarteirão do Entreposto por €98M

Ana Tavares |
Jamestown chega a Portugal com compra do quarteirão do Entreposto por €98M

A Jamestown, empresa global de investimento e gestão imobiliária, acaba de anunciar a aquisição por 98 milhões de euros do edifício de escritórios JQOne, no quarteirão do antigo Entreposto, em Lisboa, em representação de um grupo de investidores.

Este ativo, até agora propriedade da Signal, tem um total de 48.000 metros quadrados, e situa-se na zona entre o Parque das Nações e o Aeroporto Internacional de Lisboa.

Michael Phillips, Presidente da Jamestown, comenta em comunicado que «com a alta qualidade de vida que proporciona, aliada ao design, gastronomia e história, Lisboa representa para nós um mercado com potencial emergente». Destaca que «existe uma tendência crescente para empresas inovadoras, de diferentes setores, se instalarem em Lisboa, sobretudo desde que o Web Summit passou a realizar-se na cidade em 2016. Acreditamos que esta tendência se irá manter, devido à força de trabalho altamente qualificada e multilingue, e a acessibilidade internacional da cidade».

A Jamestown pretende agora reformular o edifício para melhorar a experiência dos inquilinos de forma global, com novas comodidades e áreas comuns mais atrativas, explorando usos adicionais no imóvel, «que permitam criar um melhor ambiente para inquilinos e visitantes».

A CBRE atuou nesta operação em representação da Jamestown. A Garrigues e a Arcadis deram suporte legal e técnico. Já a pbbr assessorou a Signal.

Com este negócio, a Jamestown segue a sua estratégia de expansão na Europa, onde tem já mais de 900 milhões de euros em ativos sob gestão. De recordar que, no início do ano, a empresa garantiu um mandato para administrar um portfólio de propriedades em toda a Europa em nome de um dos seus parceiros de investimento institucionais e co-investidores, o E.ON Pension Trust, fundo de pensões de uma das maiores empresas de energia alemãs.

Agora, quer estender a sua presença em Lisboa, e também alargar o portfólio na Iberia, em cidades como Madrid ou Barcelona. Phillips destaca as «grandes oportunidades de investimento em Portugal e em toda a região ibérica, e por isso tencionamos alargar a nossa presença neste mercado no longo prazo».