Empresas

Merlin fatura 55,7 milhões no primeiro trimestre

Alexandre Lima |
Merlin fatura 55,7 milhões no primeiro trimestre

A Socimi Merlin Properties, obteve um resultado líquido de 55,7 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, o que representa um acréscimo de 44,3% face ao período homólogo, apesar do efeito negativo que a pandemia tem continuado a ter no negócio de escritórios e centros comerciais, que tem sido compensado parcialmente pelo “boom” da logística.

De facto, a empresa qualifica o comportamento desta última atividade como «excelente», após fechar a contratação de mais de 143.000 metros quadrados, incluindo novos empreendimentos, além de mais de 70.000 metros quadrados em alugueres, agora com expectativa de uma ocupação plena no final do ano.
Pelo contrário, a forte diminuição de postos de trabalho registada em todo o país (Espanha) no último ano fez com que o segmento de escritórios situasse a sua ocupação abaixo de 90% e os seus rendimentos caíssem cerca de 3% devido ao aumento dos ativos desocupados e à negativa indexação do IPC.

Por seu turno, a atividade da empresa no segmento dos centros comerciais sofreu uma quebra de 2,9% nas rendas, provocadas pela perda de clientes após a aplicação de fortes restrições à mobilidade. Ainda assim, a empresa tem aplicado uma política de ajudas e bónus aos lojistas dos seus centros comerciais avaliados em 11,6 milhões de euros.

A Socimi admite ainda que, apesar de o nível de encargos continuar elevado, alguns lojistas dos seus centros comerciais «começam a atingir o limite» devido ao prolongado efeito negativo da Covid-19 na sua atividade.

Neste contexto, as receitas de arrendamento em todas as suas áreas de negócio ascenderam a 124,6 milhões de euros, e o resultado bruto de exploração (EBITDA) foi de 87,9 milhões de euros, 15,5% inferior ao resultado do primeiro trimestre de 2020.

Apesar do lucro operacional ter diminuído 15,3% nos primeiros três meses do ano, para 63,3 milhões de euros, a empresa pretende ultrapassar as estimativas inicialmente feitas para o conjunto do ano, partindo do pressuposto que a atividade registe uma normalização ao longo do exercício.

Ismael Clemente, Vice-Chairman & CEO da Merlin Properties assegura que a empresa possui um balanço «muito sólido», e com uma posição de liquidez de 1.291 milhões de euros, continuarão a trabalhar para reduzir o seu nível de endividamento para 39,7%.