Negócios

Norfin vende ativos logísticos à Bedrock e ao Europi

Ana Tavares |
Norfin vende ativos logísticos à Bedrock e ao Europi
Edifício industrial do Cartaxo

A Bedrock Capital estreia-se no mercado logístico em Portugal com a compra de dois ativos logísticos do Ibéria FEIF, geridos pela Norfin, em conjunto com o Europi Property Group (EPG), investidor internacional que também se estreia em Portugal.

Um dos imóveis situa-se no Cartaxo, e está integralmente arrendado por uma empresa do grupo Sonae.

O outro situa-se na Quinta do Adarse, em Alverca do Ribatejo, também ocupado por uma empresa portuguesa.

Daniel Lopes, Manager da Norfin, comenta que «ao longo de quatro anos, a Norfin trabalhou no sentido de melhorar a qualidade dos serviços prestados aos arrendatários, na renovação e melhoria da qualidade dos edifícios. Desta forma, potenciámos o valor de mercado dos ativos e, tendo vendido na altura certa, maximizámos o retorno dos nossos investidores».

Por seu lado, João Terneiro Gonçalves, Executive Partner da Bedrock Capital, afirma: «estamos muito satisfeitos com a aquisição destes dois ativos, que marca a nossa primeira operação em parceria com o Europi Property Group. Estamos otimistas em relação ao mercado logístico português, o qual tem vindo a registar uma procura crescente por parte dos operadores, sendo que os armazéns encontram-se localizados em dois importantes hubs logísticos de Lisboa»,

A Savillsacompanhou a Norfin neste processo. Em comunicado, recorda que o setor de industrial e logística segue «em franca expansão» em toda a Europa. Depois de um take-up recorde em 2021 em Portugal, a consultora prevê um novo máximo este ano.

Alberto Henriques, Capital Markets Associate Director da Savills Portugal, comenta que «foi bastante gratificante assessorar a Norfin na transação deste conjunto de ativos e participar na introdução da Bedrock Capital e do Europi Property Group no segmento de logística no nosso país, tendo sido um processo eficiente e colaborativo entre todas as partes envolvidas». Considera que «estas unidades, presentes em zonas consolidadas de logística, beneficiam da crescente procura ocupante e da evolução positiva de rendas».

Saiba mais sobre este negócio em Iberian Property.