Residências de estudantes

Valeo prossegue plano de investimento no Porto

Ana Tavares |
Valeo prossegue plano de investimento no Porto

A pandemia não atrapalha os planos de expansão da Valeo Management Europa em Portugal. Está quase concluída a primeira residência de estudantes da Valeo do Polo Universitário de Paranhos, que deverá abrir no próximo ano letivo (2021/2022), e que marca o início do investimento da Valeo na Península Ibérica.

Situada na rua Manuel Pacheco de Miranda, junto à Faculdade de Economia da Universidade do Porto, a residência Miranda Oporto terá 410 unidades de alojamento, distribuídas por dois blocos de 14 e 15 andares.

De acordo com a informação dada pela Câmara do Porto ao Idealista News, «a V Student Portugal S.A. apresentou uma comunicação prévia para a construção de um edifício de serviços constituído por quinze pisos, um deles abaixo da cota de soleira, destinado a residência de estudantes, com 259 unidades de alojamento».

Já o segundo imóvel é «constituído por 12 pisos, acima da cota de soleira, destinado a residência universitária perfazendo 160 unidades de alojamento».

Esta residência de estudantes será gerida pela Liv Student.

Nova residência vai surgir no Amial

Já está também em construção a segunda unidade da Valeo no Porto, junto à Estrada da Circunvalação, no Amial, perto do Hospital de São João, a Liv Porto – The Street.

Também gerida pela Liv Student, a residência terá 816 unidades de alojamento e 856 camas, e deverá abrir em 2022.

A Câmara do Porto especifica que «de acordo com o constante na memória descritiva e justificativa, a obra consiste na construção de dois edifícios destinados a residência de estudantes. Os edifícios irão albergar 856 camas, distribuídas por 816 quartos (617 quartos individuais e 18 quartos duplos em apartamento, 142 estúdios individuais, 22 estúdios duplos, e 17 estúdios individuais adaptados a pessoas de mobilidade condicionada)».

Esta residência terá um rooftop, salas de estudo, biblioteca, zonas sociais com espaço de jogos, música, cinema, ginásio, entre outras amenities.

À semelhança da residência de Paranhos, também esta obra está a cargo da construtora Mota-Engil.

Investimento ibérico pode chegar aos 400 milhões

Foi em 2019 que a Valeo anunciou que iria investir entre 300 a 400 milhões de euros na Península Ibérica, na construção de 10 novas residências de estudantes, começando precisamente pelo Porto.

Na altura, a empresa anunciou o seu interesse em «grandes cidades universitárias», e Lisboa inclui-se nessa lista, a par de Madrid, Barcelona, Valência, Sevilha ou Bilbao.

O investimento será realizado em parceria com o Bankinter, entidade bancaria com a qual estabeleceu uma aliança o ano passado criando um fundo para clientes de banca privada, o qual deverá atrair 150 milhões de euros, aos quais se soma a alavancagem financeira.