Habitação

Avaliação bancária bate os 1.272 euros

Ana Tavares |
Avaliação bancária bate os 1.272 euros

No mês de novembro, o valor mediano de avaliação bancária fixou-se nos 1.272 euros por metro quadrado, mais 21 euros que o observado no mês anterior, e mais 11,2% que em novembro de 2020, uma aceleração face à taxa de variação homóloga de 10,6% registada em outubro.

Os números do INE agora divulgados mostram que, em novembro, foram consideradas cerca de 30.000 avaliações bancárias, mais 8,7% que em igual mês de 2020.

O valor mediano das avaliações bancárias realizadas no âmbito de pedidos de crédito à habitação aumentou, face ao mês anterior, em todas as regiões, à exceção do Alentejo e da Madeira, que mantiveram o mesmo valor. As maiores variações foram registadas no Centro e no Algarve, com 2,2% e 2,1%, respetivamente.

No que diz respeito ao valor dos apartamentos, destaque para os Açores, onde o valor subiu 3,3% face ao mês anterior. A única descida registou-se na Madeira, com -0,1%.

Nas moradias, o valor de avaliação subiu 2,1%, com o Algarve a protagonizar a maior subida, de 6%. O Alentejo registou a única descida, de -2,2%.

Face a novembro de 2020, o valor mediano das avaliações subiu de forma mais intensa na Área Metropolitana de Lisboa, com 11,1%, e nos Açores, com 0,5%.

O valor dos apartamentos foi de 1.401 euros por metro quadrado, mais 11,9% face ao período homólogo. O valor mais alto registou-se no Algarve, com 1.701 euros, e o mais baixo no Alentejo, com 905 euros. Em Lisboa, os valores cresceram de forma mais expressiva, 11,6%.

Já as moradias registaram um valor mediano de 1.031 euros por metro quadrado, mais 8,1% que em novembro de 2020. Os valores mais elevados registaram-se no Algarve, com 1.758 euros, e na AML, com 1.694 euros. o Algarve registou a maior subida, de 10,3%.