Habitação

Casas são 50% mais caras em Lisboa que no Porto

Ana Tavares |
Casas são 50% mais caras em Lisboa que no Porto

O preço médio dos apartamentos à venda em Lisboa atingiu os 5.070 euros/m² em julho de 2021, mais 50% que os 3.373 euros/m² registados no Porto no mesmo período. Há seis meses que Lisboa mantém os valores de oferta acima dos 5.000 euros, e o Porto acima dos 3.300 euros.

Os números são da segunda edição do Barómetro do Mercado Residencial, desenvolvido pela Prime Yield em parceria com a SuperCasa/CasaSapo e a Infocasa, que analisa o comportamento dos preços dos apartamentos em oferta nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, e apresenta dados sobre o contexto económico e o mercado imobiliário.

Nelson Rêgo, CEO da Prime Yield, explica em comunicado que «os preços da habitação continuam a apresentar uma tendência de subida, pois este tem sido um setor em que a procura não só não se contraiu com a pandemia, como até tem revelado uma vitalidade surpreendente. Os últimos dados oficiais mostram que se superaram recordes de venda e que o crédito para aquisição não abrandou. E mais do que isso, tem sido um mercado desenvolvido num contexto de baixos níveis de oferta, o que também influenciou o comportamento dos preços».

A diferença de preços entre as duas cidades tem vindo a esbater-se nos últimos anos, passando de 67% em julho de 2019 para 57% em julho de 2020, atingindo agora os 50%. Segundo a Prime Yield, o fenómeno explica-se porque os preços cresceram a um ritmo mais intenso no Porto do que em Lisboa. Em julho de 2021 essa subida homóloga do preço de oferta dos apartamentos foi de 10,3% no Porto e de 5,7% em Lisboa. Em 2020, o aumento homólogo dos preços foi de 9,1% no Porto e de 2,6% em Lisboa.

O “gap” é menos significativo olhando para o contexto das Áreas Metropolitanas. Em julho, os apartamentos em oferta no total da Área Metropolitana de Lisboa tinham um valor médio de 2.738 euros/m², 33% acima dos 2.063 registados na Área Metropolitana do Porto.

Em termos de crescimento dos valores de oferta no âmbito do total metropolitano, a subida foi um pouco mais robusta na região de Lisboa do que no Porto. Em julho de 2021, o valor médio dos apartamentos disponíveis para venda na Área Metropolitana de Lisboa estava 7,3% acima do registado em igual período de 2020. Na Área Metropolitana do Porto a subida entre os dois períodos foi de 5,4%.

Nelson Rego completa que «a subida de preços tenderá a suavizar com o surgimento de nova oferta, especialmente da que se dirige às famílias portuguesas da classe média. Contudo, o impacto sobre os preços só deve ser visível a prazo, pois os grandes projetos de construção nova fora dos centros das cidades de Lisboa e Porto que respondem à capacidade financeira da classe média portuguesa não vão estar disponíveis de forma imediata», conclui.