Habitação

REMAX: «falta serviço mais orientado para o comprador»

Susana Correia |
REMAX: «falta serviço mais orientado para o comprador»

Tendo hoje a seu cargo os destinos da rede Remax em países como a França e a Alemanha, Manuel Alvarez contou à Vida Imobiliária que «esta experiência noutros mercados europeus tem-nos aportado algumas ideias que seriam benéficas para o nosso país».

A seu ver, um dos melhores exemplos vem do mercado alemão, «no qual há muito mais compradores ativos do que produto para venda e onde os preços estão a subir há dez anos; fazendo com que a mediação imobiliária se tenha voltado mais para prestar apoio aos compradores do que aos proprietários dos imóveis, ajudando-o a conseguir encontrar o imóvel que realmente procura e, claro, a fechar negócio; o quem nem sempre é fácil num mercado tão voltado para o vendedor». Nesse sentido «se, é o comprador quem mais precisa de ajuda, a mediação rapidamente se adotou a essa realidade e passou a ser prática comum na Alemanha que o pagamento da comissão seria repartido entre ambas as partes ativas no negócio: o vendedor e o comprador».

Embora reconheça que «esta é uma realidade diferente da nossa, acho que é um exemplo muito interessante e que pode trazer alguma aprendizagem também para o mercado português. Por um lado, pela rapidez com que o mercado atuou e a flexibilidade que demonstrou para ajustar as regras em relação aquela que passou a ser a sua nova dinâmica do mercado. Por outro lado, porque efetivamente deveríamos passar também a disponibilizar um leque de serviços mais orientado para o comprador, acompanhando-o o mais e prestando-lhe um serviço personalizado, indo de encontro às suas aspirações», defende Manuel Alvarez.

A solução, explica o Presidente da REMAX Portugal, não teria de significar um incremento das comissões a pagar ou por uma mudança radical de chip no mercado português, que deixaria de estar voltado principalmente do lado do proprietário para se focar inteiramente no comprador. Mas, sim, por uma maior flexibilização do mercado e das regras que o regem, «e que poderia passar, por exemplo, por uma alteração à lei atual, para que passasse a permitir que metade da comissão fosse paga pelo comprador e outra metade pelo proprietário».

Assista à entrevista em vídeo:

«Queremos fazer de 2021 o nosso melhor ano de sempre»

Otimista em relação aos próximos meses, e depois de uma quebra de 12% na faturação em 2020, Manuel Alvarez quer fazer de 2021 «o melhor ano de sempre para a REMAX Portugal», colocando o foco de volta ao crescimento.

Saiba mais na próxima edição da Vida Imobiliária, onde poderá ficar a conhecer a versão completa desta entrevista exclusiva a Manuel Alvarez.