Escritórios

Ocupação de escritórios sobe 45% em Lisboa e 30% no Porto

Ana Tavares |
Ocupação de escritórios sobe 45% em Lisboa e 30% no Porto

Maio foi um mês mais dinâmico para os mercados de escritórios de Lisboa e Porto, onde a colocação de espaços cresceu 45% e 30% face a igual mês do ano passado, mostram os mais recentes números do Office Flashpoint, da JLL.

Em Lisboa, foram colocados 7.650 m², num total de 12 operações, com uma área média de 640 m². A zona do CBD foi a mais procurada, representando 42% do take up mensal e 5 dos 12 negócios registados. As empresas de TMT’s & Utilities lideraram a procura, representando 48% do total.

Entre janeiro e maio, o mercado de Lisboa soma 49.500 m² ocupados, 37% abaixo do mesmo período de 2020, um desagravamento face à variação homóloga de menos 43% registada em abril.

No Porto, foram ocupados 2.400 m² em maio, duas das quais com áreas próximas dos 1.000 m², o que colocou a área média de ocupação nos 600 m². A zona CBD-Baixa foi a mais ativa, concentrando 44% do take up. As empresas de Outros Serviços foram as mais dinâmicas, representando 73% do volume de escritórios absorvidos nesse mês.

Nos primeiros 5 meses do ano, a Invicta acumula 7.000 m² de escritórios tomados, menos 70% face a igual período do ano passado, uma melhor performance que a descida de 78% registada em abril.

Mariana Rosa, Head of Leasing Markets Advisory da JLL, explica que «a maioria das operações concretizadas neste mês foram para ocupação imediata, o que prova que continua a existir uma procura real e ativa, a qual mantém o foco em espaços novos e de boa qualidade».

Mas a responsável destaca que «claro que continuamos numa conjuntura marcada pela pandemia e, mesmo com os avanços na vacinação, a atividade anual prossegue em níveis abaixo dos verificados em 2020, ano em que o primeiro trimestre ainda foi não-Covid. Mas, em todo o caso, o mercado tem dado sinais claros de que as empresas vão continuar ativas na procura de escritórios».