Arrendamento

Rendas dos novos contratos aumentam 11,5%

Ana Tavares |
Rendas dos novos contratos aumentam 11,5%

Acelera a subida das rendas habitacionais em Portugal. No segundo trimestre deste ano, a renda mediana dos 20.568 novos contratos de arrendamento celebrados em Portugal atingiu os 6,03 euros por metro quadrado, valor 11,3% acima de igual período do ano passado, e superior à variação de 5,3% registada no trimestre anterior. A variação trimestral foi de 4,1%.

Segundo os dados agora publicados pelo INE, o número de novos contratos de arrendamento celebrados aumentou 49,3% face ao segundo trimestre de 2020, período que foi particularmente afetado pela pandemia e pelo primeiro confinamento, e 3% face ao trimestre anterior.

A Área Metropolitana de Lisboa concentrou 1/3 dos novos contratos de arrendamento. As Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto concentraram no seu conjunto 53% dos novos contratos, e o Algarve 6,3%.

O valor mediano das rendas fixou-se acima do total nacional na AML (8,82 euros/m²), no Algarve (6,96 euros/m²), na AMP (6,40 euros/m²), e na Madeira /6,32 euros/m²). O valor mais baixo foi registado em Trás-os­-Montes (2,79 euros/m²) e no Alto Alentejo (2,80 euros/m²).

No segundo trimestre, a renda mediana subiu, face a igual trimestre de 2020, em 20 das 25 sub-regiões NUTS III, com destaque para a região Oeste, com uma subida de 12,3%, Aveiro (11,9%) e Madeira (11,3%), bem como na Área Metropolitana do Porto (10,2%), regiões que registaram as maiores subidas homólogas.

O número de novos contratos celebrados nos municípios com mais de 100.000 habitantes aumentou particularmente no Porto (+115,9%), Lisboa (+87,7%) e Oeiras (+87,0%). Simultaneamente, estes foram os municípios que registaram uma diminuição da renda mediana (-0,2%, -3,2% e -0,8%, respetivamente). Além destes municípios, também Leiria (-5,6%), Vila Nova de Famalicão (-3,8%), Loures (-2,7%) e Vila Franca de Xira (-1,2%) registaram diminuição homóloga das rendas.

Rendas em Lisboa sobem apenas no Beato

Nos 12 meses terminados no primeiro semestre deste ano, 23 das 24 freguesias de Lisboa registaram taxas de variação homóloga negativas. Apenas o Beato registou uma subida de 0,1% do valor mediano das rendas.

Neste período, duas das 24 freguesias de Lisboa registaram valores medianos dos novos contratos de arrendamento de habitação superiores as 13 euros/m², nomeadamente Santo António, com 13,28 euros, e Misericórdia, com 13,13 euros.

Também o Parque das Nações e São Vicente registaram rendas acima do município de Lisboa, com 11,12 euros/m², e taxas de variação homólogas superiores à verificada no município, de -6,7%).

As freguesias de Santa Clara, Lumiar, Olivais, Areeiro, Carnide, São Domingos de Benfica e Belém registaram, no 1º semestre de 2021, valores de arrendamento e taxas de variação face ao período homólogo inferiores aos do município de Lisboa.

Santa Clara, Marvila e Lumiar registaram os valores mais baixos da cidade, de 8,11, 9,70 e 10,02 euros/m², respetivamente.