Turismo

Clink Hostel reabilita edifício dos CTT com €25M

Ana Tavares |
Clink Hostel reabilita edifício dos CTT com €25M

O grupo irlandês Clink Hostel Group, da família Dolan, quer reabilitar um antigo edifício dos CTT em Lisboa e transforma-lo num novo hostel, num investimento de 25 milhões de euros.

O imóvel situa-se na rua da Palma, junto ao Martim Moniz. Com 4.400 metros quadrados de área bruta, o novo hostel terá cerca de 750 camas. Será constituído por dois corpos estruturais, um com três e outro com quatro andares, unidos por um logradouro. Deverão ser criados 90 novos postos de trabalho, e geradas receitas na ordem dos 7 milhões de euros por ano.

O Clink Hostel Group foca-se na reabilitação de edifícios nas zonas históricas das cidades, defendendo um novo paradigma de intervenção na reabilitação ao nível do alojamento local e da sua integração na comunidade. O objetivo passa por fazer parte integrante da comunidade onde as unidades se inserem.

Terry Devey, representante da família, explica em comunicado que «temos um conceito diferente de Hostel. A nossa intenção é sempre procurar um edifício mais antigo, para reabilitar, dando-lhe uma nova vida e ajudando a mudar a condição do espaço envolvente na cidade. Por outro lado, temos sempre como intenção estar próximos da comunidade onde nos inserimos, apoiando e ajudando que precisa, sempre em parceria com o poder local, neste caso com a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior».

O responsável acrescenta ainda que «ter projetos integrativos nas comunidades locais, oferecendo por exemplo, aulas de português a estrangeiros e de inglês aos portugueses residentes nas zonas envolventes. Ou fazer parcerias com restaurantes ou outros espaços comerciais, de forma a ajudar os mais necessitados».

Este imóvel foi adquirido no final de 2018. Segundo o grupo, o projeto assinado pelo gabinete de Frederico Valsassina Arquitectos está em processo de licenciamento para habitação na Câmara Municipal de Lisboa há cerca de um ano, e será posteriormente alterado o uso para alojamento local.

Terry Devey acredita que este tipo de projetos são «uma grande mais valia para as cidades onde nos encontramos, pois estamos em permanente colaboração com o poder local. Gostaríamos que Lisboa nos recebesse e aceitasse o nosso apoio na reabilitação deste espaço, esperando num período curto estender a nossa oferta à cidade do Porto», avança.

8550_VISTA JARDIM .jpg