Mediação Imobiliária

O que pretende um investidor quando procura um imóvel de luxo?

Adriano Nogueira Pinto

Adriano Nogueira Pinto

Diretor Coordenador Nacional e Internacional da DS PRIVATE

Um preço elevado, por si só, não o coloca na categoria de luxo. Existem inúmeros requisitos que devem ser cumpridos antes de se afirmar que estamos perante um imóvel de luxo. Antes de mais, ser único e exclusivo, e representar algo que seja verdadeiramente um objeto de desejo, são condições essenciais.

Os potenciais proprietários, desejam localização com acesso a atividades de luxo, como locais comerciais, restaurantes, museus / arte ou proximidade de outras casas ou zonas de luxo. Uma localização premium como Cascais, Restelo, Foz, Vilamoura ou Quinta do Lago, são de valor acrescentado. Alguns compradores do mercado de luxo, procuram a beleza natural de uma linha de mar ou de rio, outros procuram o campo ou a montanha.

A maioria pretende aquilo que todos os outros também procuram, mas numa escala superior e de excelência, privilegiando a segurança e a privacidade. Pretendem também beleza interior e exterior, com arquitetura e design personalizados, elevada atenção aos detalhes e acabamentos, sempre de elevada qualidade.

Existem detalhes que podem ser decisivos, tais como: uma cozinha de elevado padrão, uma piscina privada, a suite de elevado nível, um espaço exterior proeminente, não dispensando o recurso generalizado da automação e domótica, elevadores para carros, controlo de temperatura e humidade para as células de armazenamento de vinhos, entre muitos outros elementos de conforto. Outra vantagem a considerar, é sem dúvida o espaço, ainda que sem exagero e sempre num registo luxuoso.

Mas o que leva alguém (que pode) a querer investir neste tipo de imóvel? Simples.

Segurança. Os imóveis neste segmento são dotados de elementos de videovigilância, segurança privada e elementos construtivos que reforçam a integridade física de quem lá habita.

Diferentes opções de lazer. Principalmente nesta altura particularmente difícil onde temos a obrigação de estar confinados. Elementos como piscina, sauna, court de ténis, ginásio ou espaço exterior que convidem à vida e ao convívio (limitado) com a família, são fatores determinantes.

Localização. Uma das questões mais importantes. Os imóveis de luxo tendem a estar em áreas privilegiadas, estrategicamente definidas, seja pela questão da proximidade urbana do seu segmento, seja pela singularidade de ambientes mais calmos e tranquilos.

Exclusividade. O consumidor de luxo procura acima de tudo experiências singulares, personalizadas e exclusivas. O detalhe que caracteriza o imóvel, a sofisticação e o conforto são qualidades dignas de registo que devem ser contempladas desde a conceção em planta do imóvel, até à prestação de serviços adjacentes. Também o recurso ao uso de materiais da mais

alta qualidade é essencial, nomeadamente considerando fatores como a durabilidade – madeiras nobres, mármores e aço inoxidável.

Valorização. Quem investe neste tipo de imóvel não pensa a curto prazo, pensa sim no potencial de valorização e na rentabilidade do mesmo. O interesse na arquitetura, segurança e decoração de qualidade facilitam qualquer negociação futura. Na verdade, os proprietários de imóveis de elevado padrão estão menos expostos à eventual desvalorização dos mesmos perante eventuais cenários económicos mais adversos.

Rentabilidade. Os imóveis de luxo têm um público alvo constante, pelo que existe sempre a possibilidade de arrendar esses mesmos imóveis gerando por isso um ativo mensal também ele elevado. Mesmo no momento em que decide adquirir um imóvel premium ou luxo para morar, é sempre importante saber que, além do seu valor enquanto património, através dele é passível gerar uma elevada rentabilidade e, por isso, segurança financeira acrescida para o futuro.

Na DS PRIVATE sabemos que adquirir um imóvel de luxo pode não ser para todos, mas a verdade é que se trata de um nicho de mercado em constante dinâmica e Portugal tem assistido a uma elevada procura neste segmento, nomeadamente a nível internacional. Mesmo com a conjuntura atual, este ano prevê-se um crescimento neste mercado. À semelhança de outros mercados de luxo, os impactos de uma crise têm sido residuais, o que o torna bastante apelativo ao investimento.