Residências de estudantes

IPIM e Heed estreiam-se em Portugal com compra de residência de estudantes no Porto

Ana Tavares |
IPIM e Heed estreiam-se em Portugal com compra de residência de estudantes no Porto

A IP Investment Management (IPIM) e a Heed Capital fecharam a sua primeira aquisição no mercado imobiliário português, e vão construir uma residência de estudantes no Porto.

A construir num terreno de 4.000 metros quadrados na zona de Paranhos, no Polo II da Asprela, esta residência de 151 camas deverá abrir em 2023, conforme já anunciado pela Amro este verão.

A joint venture entre os fundos Iberian Student Living de Singapura e a Iberian Student Living – FCR em Portugal será gerida pela IPIM, e a Amro será promotora e operadora da mesma.

A parceria tem como objetivo investir em outras 3 a 4 residências de estudantes em Portugal e Espanha nos próximos dois anos, aproveitando um mercado ainda com pouco produto residencial desenvolvido de raiz para estudantes.

A Iberian Student Living – FCR é um fundo qualificado para investimento através do programa de “Vistos Gold” português, e foca-se apenas no investimento em residências de estudantes. A ideia é «capitalizar uma oportunidade rara para entrar no mercado ibérico das residências de estudantes com promotores experientes e ganhar quota de mercado significativa numa fase inicial», pode ler-se em comunicado de imprensa.

Selina Williams, diretora executiva da IPIM, destaca o rácio de «uma cama disponível para cada 21 alunos, crescimento absoluto de 2,36 vezes no mercado de residências de estudantes ao nível internacional em 10 anos. Estas são algumas estatísticas que atraem os investidores institucionais para o mercado de Purpose-Built Student Accomodation (PBSA) em Portugal, um dos mercados em que a IPIM se foca na Europa».

Segundo a responsável, «Portugal apresenta uma grande oportunidade de crescimento e é semelhante ao mercado de PBSA do Reino Unido há cerca de 10 anos. Enquanto “early mover”, a IPIM pretende tirar partido de um mercado extremamente fragmentado, com muitas oportunidades para entregar camas para estudantes modernas e de alta qualidade num contexto de falta de stock».

Por seu turno, Joaquim Luiz Gomes, Founder e Managing Director da Heed Capital (antiga Dunas Capiral), destaca que «a Heed Capital está entusiasmada por entrar neste segmento de mercado pouco desenvolvido com os parceiros certos. A atratividade de Portugal junto dos estudantes internacionais continua a crescer, e esperamos estar bem posicionados».

Já Raj Kotecha, Co-Founder e Managing Director da Amro Partners, salienta que «a nossa expansão em Portugal é um passo natural no seguimento de várias aquisições bem sucedidas em Espanha, onde entrámos em 2018. O setor das residências de estudantes provou ser resiliente nos últimos 12 meses, e a falta de oferta significativa nesta região cria grande potencial d crescimento».

E garante que «continuamos focados em aumentar a nossa presença na região, com um pipeline de novas aquisições a anunciar nos próximos meses».