Habitação

Avaliação bancária mantém-se no máximo de 1.221 euros

Ana Tavares |
Avaliação bancária mantém-se no máximo de 1.221 euros

Em agosto, o valor mediano de avaliação bancária foi de 1.221 euros por metro quadrado, idêntico ao registado no mês anterior, e uma subida homóloga de 8,2% face ao ano passado (8,2% em julho).

De acordo com os dados do INE revelados esta semana, o maior aumento do valor por metro quadrado face ao mês anterior registou-se na Madeira, com 3,2%. o Centro registou a maior descida de -0,8%.

A maior subida homóloga foi registada foi registada também na Madeira, com 11,5%, e a menor novamente no Centro, com 2,7%.

O valor médio dos apartamentos fixou-se nos 1.356 euros por metro quadrado, mais 0,4% que no mês anterior e mais 9,9% face a agosto de 2020. O valor mais elevado registou-se no Algarve, com 1.649 euros por metro quadrado, e o mais baixo no Alentejo, com 877 euros por metro quadrado. A Madeira registou o crescimento mais expressivo de 13,1%.

Por outro lado, o valor mediano de avaliação bancária das moradias fixou-se nos 987 euros por metro quadrado em agosto, mais 3,2% face a 2020, e menos 1,1% que em julho.

Os valores mais elevados do país registaram-se na Área Metropolitana de Lisboa, com 1.613 euros, e no Algarve, com 1.590 euros. O Centro registou o valor mais baixo, de 807 euros, ao passo que os Açores registaram o maior crescimento homólogo, de 7,9%.

O INE dá nota de que neste período foram feitas 29.000 avaliações bancárias, mais 35,3% que em igual período do ano anterior.