Escritórios

Mercado ocupacional mantém postura conservadora

Susana Correia |
Mercado ocupacional mantém postura conservadora

De acordo com os últimos dados avançados pela Savills, no acumulado entre janeiro e agosto de 2021 foram ocupados cerca de 74.500 m² no mercado de escritórios de Lisboa, o que representa uma descida de 24% e de 45% face aos níveis de atividade observados em 2020 e 2019, respetivamente.

«Se olharmos para os primeiros oito meses do ano conseguimos perceber que o mercado ocupacional adotou uma postura mais conservadora em 2021 face ao ano de 2020, quando fomos atingidos pela pandemia», comenta Ana Redondo, Associate Director do Departamento de Office Agency da Savills Portugal.

No entanto, realça a responsável, «este arrefecimento não se deve a uma queda no mercado como aquela a que assistimos nos anos da crise do sub-prime, mas sim a uma paragem para balanço necessária e totalmente expectável, que está a conduzir muitas empresas a uma análise de reposicionamento estratégico dos seus planos de negócio, mas também de reorganização dos seus modelos de trabalho e espaços de escritórios».

Do lado da ocupação, o setor das TMT’s tem sido o mais resiliente em 2021, tendo já ultrapassado em 11% o volume total de absorção registado nos primeiros oito meses de 2020. «Se a crise pandémica colocou à prova a sobrevivência de muitos setores de atividade, no caso da área das Novas Tecnologias, trouxe novas oportunidades de expansão de negócio, com repercussão direta nos seus modelos de ocupação de escritórios», conclui a análise da Savills.

No mês passado, foram colocados apenas 5.606 m² no mercado de Lisboa, o que representa uma descida do volume de absorção de 58% e de 50% comparativamente aos meses de agosto de 2020 e 2019, respetivamente.