Hotelaria

Selina soma receitas de €82M em 2021

Ana Tavares |
Selina soma receitas de €82M em 2021
Lisboa Selina Secret Garden & Cowork

As vendas da hoteleira Selina, focada no mercado dos millennials e jovens da geração Z, terão ultrapassado em 2021 os 82 milhões de euros, em resultado de um quarto trimestre excecionalmente forte.

A marca aposta na renovação de unidades hoteleiras com baixo rendimento em parceria com os proprietários, que assumem 90% dos custos de conversão, criando unidades tipo hotel boutique com as instalações de um coworking e as experiências sociais de um retiro ou festival. A tecnologia da rede «consegue obter nas suas propriedades recém-abertas, um processo rentável que elimina a necessidade de intermediários».

No mês de dezembro, a Selina registou a abertura de 6 novas unidades e 6 novos destinos na sua rede, o maior volume de aberturas mensal da história da empresa, que somam mais de 2.800 camas na rede. 4 unidades situam-se em Israel, 3 no Brasil e as restantes no Panamá, Argentina, Uruguai, Austrália e Tailândia. Este foi o mês mais ativo de sempre para a Selina.

Com as novas aberturas, a plataforma hoteleira da Selina soma 144 unidades, 90 delas em funcionamento.

Segundo a marca, «este crescimento está a ser impulsionado pelo significativo desajuste entre a procura e a oferta de alojamentos a preços atrativos que servem o mercado Millennial e Gen Z - um segmento importante e em rápido crescimento que se estima gastar aproximadamente 350 mil milhões de dólares por ano, em viagens». A rede Selina «espera continuar a beneficiar do aumento do trabalho remoto e da prioridade dada, atualmente, às áreas da saúde, bem-estar e a valorização das experiências entre os viajantes millennials e da geração Z».

Rafael Museri, CEO da Selina, afirma em comunicado que «o nosso forte desempenho em dezembro é a prova da nossa localização estratégica, conceção e ativação das unidades, que atraem tanto os habitantes e viajantes locais, como os visitantes internacionais. Isto permitiu-nos continuar a crescer numa altura em que as viagens foram substancialmente reduzidas. Simplificando, os nossos hotéis estão em locais que todos querem visitar, e são ativados com os eventos, restaurantes e outra programação interessante que assegura uma forte atividade durante as épocas altas e baixas para as viagens internacionais».

Completa que «estamos também em sintonia com as necessidades dos viajantes millennials e da geração Z, continuando a concentrar-nos na implementação de novos produtos - como co-living e outros produtos de viagem flexíveis - que proporcionam experiências que este segmento está a procurar». O responsável acredita que «este impulso conduzirá a um crescimento contínuo ao longo de 2022, impulsionado pela infraestrutura tecnológica, a envolvência da marca e um autêntico sentido de comunidade global».