Escritórios

Zurich Portugal constrói os escritórios do futuro com o projeto LiZboa

Susana Correia |
Zurich Portugal constrói os escritórios do futuro com o projeto LiZboa

Focada no duplo objetivo de adotar um modelo de trabalho híbrido e de melhorar a experiência e o bem-estar dos seus colaboradores, a Zurich está a reabilitar a sua sede em Portugal que, uma vez concluídos os trabalhos, passará a poder concentrar todos os colaboradores da seguradora em Lisboa.

Com projeto de arquitetura e a construção a cargo da Tétris, esta intervenção pretende transformar por completo o histórico edifício ocupado pela seguradora na rua Barata Salgueiro, redesenhando os seus escritórios «sob as práticas mais avançadas de sustentabilidade, digitalização, mobilidade e diversidade e inclusão», informa a empresa.

Repensando a ocupação e a utilização dos espaços da sede da Zurich, «para dar lugar a um edifício sustentável e digital», este projeto estará em construção ao longo de 2021 e 2022, prevendo-se que fique concluído no decorrer do próximo ano.

Desenvolvida «a pensar na experiência dos colaboradores», nesta reabilitação da sede a Zurich reforça a aposta em espaços «que promovam a excelência relacional», criando diversas zonas colaborativas inter e intra-equipas, espaços sociais e de lazer, uma zona de cafetaria com esplanada exterior, uma sala polivalente para atividades desportivas e culturais, sala de amamentação e balneários.

«A transformação total do edifício tem como principal objetivo continuar a cuidar dos nossos colaboradores, assegurando as melhores condições de trabalho, através de um conceito de escritório adaptado à nossa realidade, onde possamos todos desfrutar de novas experiências», afirma Carlos Fonseca, Chief Operating Officer da Zurich em Portugal.

Um novo modelo de trabalho desenvolvido com o contributo dos colaboradores

Os cerca de 500 colaboradores da Zurich estão em regime de teletrabalho desde março de 2020 e assim vão permanecer até ao final deste ano. A partir de 2022, no seu regresso aos escritórios e ao edifício da sede em particular, a Zurich adotará um modelo de trabalho híbrido, articulando uma componente de trabalho remoto e outra a partir dos escritórios da empresa.

«Com o novo modelo de trabalho vamos conseguir ser mais autónomos, mais criativos, mais inovadores, mais colaborativos e mais sustentáveis. Proporcionar um melhor equilíbrio entre vida pessoal, familiar e profissional aos nossos colaboradores é outro dos nossos compromissos», conclui Carlos Fonseca.

Este novo modelo híbrido está a ser desenvolvido com o contributo dos colaboradores, auscultados através de um estudo de Workplace Strategy e Sustentabilidade liderado pela JLL.

A Zurich junta-se assim à lista de empresas, seguradoras incluídas, que estão a concretizar uma série de mudanças estratégicas na ocupação imobiliária. Potenciada pela pandemia, esta é, aliás, uma das tendências mais marcantes no mercado de escritórios, no qual os modelos híbridos de ocupação, sustentabilidade, tecnologia, certificação, flexibilização dos espaços são novas palavras de ordem aos comandos do setor, como lhe mostramos na edição de junho da revista Vida Imobiliária.